🔥 Popular | Latest

Che i vegani abbiano un estremo rispetto per gli animali è cosa nota, che alcuni di loro reputino la vita di qualsiasi essere vivente sacra come quella dell’uomo è risaputo (certo, cosa opinabile, ma pur sempre concepibile), Marco, un ragazzo di 29 anni di Benevento, disoccupato, laureato in scienze naturali e fanatico animalista, vegano e ambientalista, ha però raggiunto vette improponibili. Da 4 mesi vive con la testa infestata dai pidocchi, e non ha intenzione di risolvere questo problema. Il motivo? Per rimuoverli dovrebbe usare (come fanno tutte le persone normali) delle lozioni che ucciderebbero i piccoli insetti e le loro uova, e Marco considera questo gesto una barbarie.: Miti Da Sfatare Un animalista vive con migliaia di pidocchi tra i capelli perché non vuole ucciderli Fonte: llpatriota.it Che i vegani abbiano un estremo rispetto per gli animali è cosa nota, che alcuni di loro reputino la vita di qualsiasi essere vivente sacra come quella dell’uomo è risaputo (certo, cosa opinabile, ma pur sempre concepibile), Marco, un ragazzo di 29 anni di Benevento, disoccupato, laureato in scienze naturali e fanatico animalista, vegano e ambientalista, ha però raggiunto vette improponibili. Da 4 mesi vive con la testa infestata dai pidocchi, e non ha intenzione di risolvere questo problema. Il motivo? Per rimuoverli dovrebbe usare (come fanno tutte le persone normali) delle lozioni che ucciderebbero i piccoli insetti e le loro uova, e Marco considera questo gesto una barbarie.

Che i vegani abbiano un estremo rispetto per gli animali è cosa nota, che alcuni di loro reputino la vita di qualsiasi essere vivente sac...

Save
⚠️ Marque os seus amigos! ↗️ . Ryan Arebuabo, de 38 anos, vive em Manila, nas Filipinas, e era um anônimo até a semana passada, quando uma foto dele viralizou na internet. Na imagem, ele aparece sentado na mesa de um restaurante fast-food com suas duas filhas, que estão comendo - mas ele não come, apenas as observa. Arebuabo levou as filhas para o restaurante naquela tarde para comemorar a formatura do jardim de infância de Rose May, de seis anos. Porém, como ele não tinha dinheiro para pagar sua comida, satisfez sua fome apenas observando as meninas. Segundo a reportagem, Arebuabo teve uma paralisia parcial e não consegue falar direito após sofrer um derrame há 4 anos. Com isso, ele ficou sem trabalhar e as coisas ficaram ainda mais complicadas quando sua mulher resolveu deixá-lo. Numa tentativa de tentar reconquistar a esposa, ele reformou a casa deles e comprou uma televisão usada - mas os esforços foram em vão. Ainda assim, o homem quis ficar com a guarda das filhas, o que conseguiu. O sustento da família vem do dinheiro ganho com seu sari-sari, um tipo de comércio local similar a uma loja de conveniência. Além disso, Arebuabo recebe uma ajuda de US$ 62 dólares (cerca de R$ 194) de um programa social do governo das Filipinas. Arebuabo descobriu o que é um altruísmo de um pai quando ele mesmo era criança. Ele contou à ABS-CBN que cresceu numa família de pai solteiro, que cuidou de 4 filhos após a mãe ter morrido num acidente de trabalho. Hoje, o pai de Arebuabo continua ajudando o filho ao lavar as roupas dele e das meninas e com algumas despesas. Apesar das dificuldades, Arebuabo disse a jornais locais que ele quer mostrar que consegue ser um bom pai e que seu trabalho é ter a "certeza que essas crianças podem, um dia, conquistar os sonhos delas e deixar as favelas". Após viralizar na internet, ele pode ter uma refeição no fast-food ao lado de suas filhas. Fonte: Estadão . ❗SIGAM a ADM ➡️ @Nandinhatw: Acredita Nisso? Pai leva filhas a um fast food para comemorar, mas deixa de comer por não ter dinheiro f/ACREDITANISSOOFICIAL @ACREDITANISSO ⚠️ Marque os seus amigos! ↗️ . Ryan Arebuabo, de 38 anos, vive em Manila, nas Filipinas, e era um anônimo até a semana passada, quando uma foto dele viralizou na internet. Na imagem, ele aparece sentado na mesa de um restaurante fast-food com suas duas filhas, que estão comendo - mas ele não come, apenas as observa. Arebuabo levou as filhas para o restaurante naquela tarde para comemorar a formatura do jardim de infância de Rose May, de seis anos. Porém, como ele não tinha dinheiro para pagar sua comida, satisfez sua fome apenas observando as meninas. Segundo a reportagem, Arebuabo teve uma paralisia parcial e não consegue falar direito após sofrer um derrame há 4 anos. Com isso, ele ficou sem trabalhar e as coisas ficaram ainda mais complicadas quando sua mulher resolveu deixá-lo. Numa tentativa de tentar reconquistar a esposa, ele reformou a casa deles e comprou uma televisão usada - mas os esforços foram em vão. Ainda assim, o homem quis ficar com a guarda das filhas, o que conseguiu. O sustento da família vem do dinheiro ganho com seu sari-sari, um tipo de comércio local similar a uma loja de conveniência. Além disso, Arebuabo recebe uma ajuda de US$ 62 dólares (cerca de R$ 194) de um programa social do governo das Filipinas. Arebuabo descobriu o que é um altruísmo de um pai quando ele mesmo era criança. Ele contou à ABS-CBN que cresceu numa família de pai solteiro, que cuidou de 4 filhos após a mãe ter morrido num acidente de trabalho. Hoje, o pai de Arebuabo continua ajudando o filho ao lavar as roupas dele e das meninas e com algumas despesas. Apesar das dificuldades, Arebuabo disse a jornais locais que ele quer mostrar que consegue ser um bom pai e que seu trabalho é ter a "certeza que essas crianças podem, um dia, conquistar os sonhos delas e deixar as favelas". Após viralizar na internet, ele pode ter uma refeição no fast-food ao lado de suas filhas. Fonte: Estadão . ❗SIGAM a ADM ➡️ @Nandinhatw

⚠️ Marque os seus amigos! ↗️ . Ryan Arebuabo, de 38 anos, vive em Manila, nas Filipinas, e era um anônimo até a semana passada, quando um...

Save
Uma das maiores travas do ser humano está em saber lidar com sentimentos passados e também futuros. Muitas pessoas sofreram algo lá atrás, mas continuam, dia após dia, a trazer essas coisas para os tempos atuais, sem qualquer necessidade. Tudo bem, a gente tem que aprender com o que já nos aconteceu, mas precisamos também nos livrar dessas amarras que nos prendem à coisas que não mais podemos mudar. Nosso conselho? Foque no presente e em tudo que está em suas mãos. Você não pode mudar o passado e, da mesma maneira, não pode viver pra sempre lá. O que passou, passou. Viva o hoje da melhor maneira para construir o futuro que tanto deseja. Pense nisso. fabricadementes souTeamFdM: SEU PASSADO PODE ATE DOER, MAS TENHO UMA BOA NOTICIA: VOCÊ NÃO VIVE MAIS LA FÁBRICADEMENTES Uma das maiores travas do ser humano está em saber lidar com sentimentos passados e também futuros. Muitas pessoas sofreram algo lá atrás, mas continuam, dia após dia, a trazer essas coisas para os tempos atuais, sem qualquer necessidade. Tudo bem, a gente tem que aprender com o que já nos aconteceu, mas precisamos também nos livrar dessas amarras que nos prendem à coisas que não mais podemos mudar. Nosso conselho? Foque no presente e em tudo que está em suas mãos. Você não pode mudar o passado e, da mesma maneira, não pode viver pra sempre lá. O que passou, passou. Viva o hoje da melhor maneira para construir o futuro que tanto deseja. Pense nisso. fabricadementes souTeamFdM

Uma das maiores travas do ser humano está em saber lidar com sentimentos passados e também futuros. Muitas pessoas sofreram algo lá atrás...

Save
@AcreditaNisso? Um estudo realizado por pesquisadores australianos e europeus sugere que quem cuida de pessoas queridas tende a viver mais. A pesquisa foi publicada no periódico Evolution and Human Behavior e tem como foco entender como a relação entre avós e netos pode ser benéfica para os idosos. Para isso, os cientistas analisaram dados coletados entre 1990 e 2009 de mais de 500 pessoas com idades entre 70 e 103 anos. Os resultados mostram que existe uma relação entre cuidar dos netos e um aumento na expectativa de vida. De acordo com o estudo, metade dos avós que cuidavam dos pequenos ou ajudavam os filhos de alguma forma estava ainda estava viva dez anos após a primeira entrevista, realizada em 1990. Em termos de comparação, metade dos que não tinham uma relação tão próxima com a família morreu nos cinco anos que seguiram o primeiro contato dos entrevistadores. O estudo não se limitou aos familiares: segundo outra análise realizada, a maioria dos idosos que dava apoio emocional ou ajudava amigos e conhecidos de alguma forma viveram uma média de três anos a mais do que quem não apresentava esse comportamento. Ao apresentar a pesquisa, os cientistas fizeram questão de ressaltar que, para a análise, só consideraram os avós que cuidavam dos netos esporadicamente e que a relação apontada pelo estudo não pode ser vista como a única forma de viver alguns anos a mais. Ainda assim, vale fazer o possível para manter o contato com pessoas queridas, independente de quem elas sejam. Fonte: Galileu . SIGAM-ME OS BONS 👉 @Nandinhatw (ADM): Acredita Nisso? Quem cuida de pessoas queridas vive mais,mostra pesquisa /ACREDITANISSOOFICIAL @ACREDITANISSO @AcreditaNisso? Um estudo realizado por pesquisadores australianos e europeus sugere que quem cuida de pessoas queridas tende a viver mais. A pesquisa foi publicada no periódico Evolution and Human Behavior e tem como foco entender como a relação entre avós e netos pode ser benéfica para os idosos. Para isso, os cientistas analisaram dados coletados entre 1990 e 2009 de mais de 500 pessoas com idades entre 70 e 103 anos. Os resultados mostram que existe uma relação entre cuidar dos netos e um aumento na expectativa de vida. De acordo com o estudo, metade dos avós que cuidavam dos pequenos ou ajudavam os filhos de alguma forma estava ainda estava viva dez anos após a primeira entrevista, realizada em 1990. Em termos de comparação, metade dos que não tinham uma relação tão próxima com a família morreu nos cinco anos que seguiram o primeiro contato dos entrevistadores. O estudo não se limitou aos familiares: segundo outra análise realizada, a maioria dos idosos que dava apoio emocional ou ajudava amigos e conhecidos de alguma forma viveram uma média de três anos a mais do que quem não apresentava esse comportamento. Ao apresentar a pesquisa, os cientistas fizeram questão de ressaltar que, para a análise, só consideraram os avós que cuidavam dos netos esporadicamente e que a relação apontada pelo estudo não pode ser vista como a única forma de viver alguns anos a mais. Ainda assim, vale fazer o possível para manter o contato com pessoas queridas, independente de quem elas sejam. Fonte: Galileu . SIGAM-ME OS BONS 👉 @Nandinhatw (ADM)

@AcreditaNisso? Um estudo realizado por pesquisadores australianos e europeus sugere que quem cuida de pessoas queridas tende a viver mai...

Save